E na Malásia… (2)

SÃO PAULO (walk on!) – Depois de curtir um mega show do U2 como há tempos não curtia (deixo para falar disso em outro post), vou dar uma palpitada bem basicona para o GP da Malásia de logo mais, às 5h da madrugada no Brasil.

Na classificação, deu Vettel de novo. O tedesco pode bater a marca de seu compatriota Schumacher a continuar nessa tocada imbatível em voltas rápidas. Eu achei que o Hamilton levava essa, mas Vettel continua dando as cartas. Só o fez porque a Red Bull resolveu usar o KERS, senão dava McLaren, que melhorou a olhos vistos em Sepang. O alemão teve de suar, mas no último segundo, quando era o último piloto na pista, ele cravou a volta perfeita com as melhores parciais nos dois primeiros setores da pista. E vai suar bastante para segurar os prateados.

O desapontamento ficou com Schumacher, que nem foi ao Q3, fez o 11° tempo apenas. Alonso tirando leite de pedra achou um quinto lugar e Massa vai largar bem atrás dele. Se Felipe der um salto como fez na Austrália, terá grandes chances na corrida, seu carro não está tão longe de Alonso em performance (andou sempre na frente do espanhol nos treinos), embora o asturiano ainda esteja um pouco melhor psicologicamente que o brasileiro. Mas ver Fernando sentado, ainda de capacete, vendo a tela de tempos no fim do treino e conferindo seu lugar 1 segundo atrás, chegou a dar pena. Vai ser um duelo interno dos mais interessantes nessa corrida.

Já o mito Kobayashi foi valente como um verdadeiro samurai e pôs a Sauber no lugar de… Schumacher. O 10° lugar do japonês já o credencia como um dos melhores pilotos nipônicos na F1. Seu companheiro mexicano de Sauber ficou só com o 16° lugar. Como em Sepang o calor é muito maior, Pérez não vai conseguir outra façanha de uma parada.

Barrichello andou melhor no Q1, mas ficou na degola do Q2 e não se acertou mais com sua Williams. Deve fazer uma corrida para chegar nos pontos, mas como todo mundo vai depender de estratégia de parada para troca de pneus, é outro que vai suar muito durante a prova. Maldonado ficou no Q1, decepcionante. E o brasileiro deu umas declarações com um tom meio para baixo, sinal que o buraco é mais embaixo na Williams. Quem ouve Rubens falando sempre percebe uma linha de otimismo e alegria em sua voz, e mesmo nas frases que diz. Não foi o caso hoje. E isso não é normal.

Será interessante ver as estratégias por causa do desgaste da borracha. Rubens mesmo disse que esse pneu não “avisa” quando está acabando, ele simplesmente acaba de uma vez. E com as Hispania na pista, que milagrosamente escaparam da regra dos 107%, vai ser divertido ver as ultrapassagens e quebras. As Lotus e as Virgin vão fazer sua corrida à parte lá atrás para definir quem é a melhor da “segunda divisão” nessa prova. Quem quebrar menos, leva.

Heidfeld acordou com o pé direito e cravou a Renault no 6° lugar, excelente. Petrov larga atrás de Massa. O grid não tem nenhuma dobradinha entre os 10 primeiros, ficou bem bacana para um jogo de equipe eficiente. Red Bull – Mclaren – Red Bull – McLaren, Ferrari – Renault – Ferrari – Renault. Aí vem Nico Rosberg, de Mercedes, para engrossar o caldo.

Outra coisa que vai animar a prova será o clima. Na Malásia, quando chove, é para Noé nenhum botar defeito. A Pirelli não avaliou muito seus pneus de chuva porque quase não caiu água na pré-temporada na Espanha, em Jerez e Barcelona. Schumacher disse que não se sabe o rendimento dos pneus intermediários e os de chuva forte, vai ser meio na loteria se chover naquela parte da Ásia. E as monções resolvem dar seu alô bem nessa época do ano.

Em suma, meu palpite para o pódio: Hamilton, Vettel e Button. Só para contrabalançar as apostas. E o mito Kobayashi em quarto.

 

GP da Malásia – Grid de largada:

1°. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), 1min34s870
2°. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), a 0s104
3°. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), a 0s309
4°. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), a 0s330
5°. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 0s932
6°. Nick Heidfeld (ALE/Renault), a 1s254
7°. Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 1s381
8°. Vitaly Petrov (RUS/Renault), a 1s454
9°. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 1s939
10°. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), a 1s950

11°. Michael Schumacher (ALE/Mercedes), 1min37s035
12°. Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari), 1min37s160
13°. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari), 1min37s347
14°. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes), 1min37s370
15°. Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth), 1min37s496
16°. Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari), 1min37s528
17°. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes), 1min37s593

18°. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth), 1min38s276
19°. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault), 1min38s645
20°. Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault), 1min38s791
21°. Timo Glock (ALE/Virgin-Cosworth), 1min40s648
22°. Jérome D’Ambrosio (BEL/Virgin-Cosworth), 1min41s001
23°. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth), 1min41s549
24°. Narain Karthikeyan (IND/Hispania-Cosworth) 1min42s574

*107% do tempo do Q1: 1min43s516

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em automobilismo, Formula 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s