E na Malásia… (3)

SÃO PAULO (pintou o campeão?) – Está virando rotina. Novamente, Vettel venceu com folga, mostrando que a Red Bull, como disse Alonso, parece “fora do alcance”. E de fato, nessas duas primeiras provas, o é. Com 100% de aproveitamento, o alemão já abriu 24 pontos de diferença para o segundo colocado na classificação, Button.

E o inglês, campeão mundial em 2009, vem como um típico mineirinho, comendo pelas beiradas, sem fazer alarde, e está lá no topo, sem perder Vettel de vista na tabela. Ainda é distante, mas prova que a McLaren pode assustar a Red Bull em algumas corridas.

E Nick Heidfeld provou que o pódio de Petrov na Austrália não foi por acaso. Além de ter feito uma corrida impecável, seu grande trunfo foi ter pulado de sexto para segundo lugar logo na largada, disputando curva com Hamilton.

A Renault fez um carro certinho, com enorme potencial. Não fosse o voo do russo após uma escapada de pista por conta dos pneus gastos, que fez a coluna de direção sair na mão do piloto ao aterrissar (inaceitável isso), o time preto-e-dourado poderia marcar mais pontos. Certamente irá fazê-lo no decorrer do calendário. A Ferrari que se cuide; só está na frente após duas provas porque tem um orçamento bem superior e seus dois pilotos são mais experientes.

Mas a corrida reservou suas emoções para o final. Alonso e Felipe fizeram um “pega” bonito nas últimas voltas, com vantagem para o brasileiro, que se manteve à frente do espanhol e ganha um fôlego extra até a próxima corrida, na China. Massa, novamente, largou bem melhor que seu companheiro de equipe. Que continue assim.

E Fernando deve estar de cabeça quente até agora, já que foi punido (achei desnecessário) com acréscimo de 20 segundos em seu tempo final de prova pelo toque que lhe custou meio bico de carro na bela disputa com Hamilton, igualmente punido por mudar a trajetória mais de uma vez na reta. Fora que a asa móvel do espanhol parou de funcionar no começo da prova. A FIA inventa mil traquitanas para aumentar as ultrapassagens e, quando elas acontecem, os pilotos são punidos. Só o bico e uma parada a mais já bastavam para Alonso, não precisava de 20 segundos a mais. E a briga com Hamilton é antiga, deixa que eles se acertem na pista.

Mas ainda na linha das disputas, o mito Kobayashi deu uma canseira no veterano Schumacher. Como pilota esse japonês! Deu “X”, disputou freada, fechou a porta e abriu caminho (duas vezes) na frente do heptacampeão. Com muito respeito, mas com igual autoridade.

E jogando luz sobre os estrantes, Paul di Resta marcou seu segundo pontinho com outro décimo lugar, a exemplo da primeira corrida. E Sutil por pouco não termina na zona de pontos. Vijay Mallya fez um carro até agora honesto. As Force India vêm fazendo campeonatos bem decentes nos últimos anos, é uma equipe que cresce a cada prova. E que já está à frente da Mercedes na tabela dos construtores.

Já a dupla da Williams, Barrichello e Maldonado, ainda penam com carros. Sir Frank prometeu novas atualizações para a China, mas o carro que surpreendeu com o câmbio ultracompacto ainda não está confiável.

“Decepção é a palavra. É triste, mas, depois de duas provas, é a palavra certa, porque esperávamos um começo de ano mais forte. Acho que temos um potencial para descobrir desse carro, mas as duas primeiras corridas foram horríveis”, falou o brasileiro à repórter Mariana Becker, da TV Globo. Disse tudo.

Webber sumiu na Malásia. Fez uma prova discretíssima e chegou em quarto, tentando empurrar Heidfeld para lhe tomar o pódio, sem sucesso. Desde o título de Vettel, falta um certo brilho nos olhos do aussie.

Outro que não se deu bem foi Nico Rosberg. Parecia que o freio de mão de sua Mercedes estava puxado. Andou lá atrás, quase não apareceu. Ross Brawn vai ter de pôr a mão na massa para recuperar sua equipe que até agora não causou arrepios, nem na pré-temporada.

Menção honrosa para Timo Glock, que levou sua Virgin até o final. Esse alemão é outro que merecia estar em uma equipe um pouco melhor.

E a chuva, que normalmente alaga meia Malásia, só ficou na ameaça. uns pingos aqui, outro ali, e ninguém testou os novos pneus para pista úmida e molhada. Mas foi uma excelente corrida. A combinação de KERS + DRS (asa móvel) + pneus que esfarelam como papel velho deram uma boa dose de emoção. Se degradam tanto que algumas áreas da pista tinham um trilho mais claro de asfalto limpo no meio de faixas escuras cheias de pedaços de borracha, os “macarrõeszinhos” (é assim que se escreve?) que se soltam dos pneus.

Para a próxima corrida, em Xangai, na China, os carros não terão muitas alterações. Nem dá muito tempo, já é neste final de semana. Então, começa a se desenhar mais uma vitória do alemãozinho, que para mim já aponta como favorito ao título.

GP da Malásia – Resultado da prova:

1°. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), 56 voltas
2°. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), a 3s2
3°. Nick Heidfeld (ALE/Renault), a 25s0
4°. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), a 26s3
5°. Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 36s9
6°. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 37s2*
7°. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), a 1min06s4
8°. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), a 49s9*
9°. Michael Schumacher (ALE/Mercedes), a 1min24s8
10°. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes), a 1min31s5
11°. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes), a 1 volta
12°. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 1 volta
13°. Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari), a 1 volta
14°. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari), a 1 volta
15°. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault), a 1 volta
16°. Timo Glock (ALE/Virgin-Cosworth), a 2 voltas
17°. Vitaly Petrov (RUS/Renault), Abandonou
18°. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth), Abandonou
19°. Jérome D’Ambrosio (BEL/Virgin-Cosworth), Abandonou
20°. Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault), Abandonou
21°. Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari), Abandonou
22°. Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth), Abandonou
23°. Narain Karthikeyan (IND/Hispania-Cosworth) Abandonou
24°. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth), Abandonou

*Penalização de 20 segundos acrescidos no tempo de prova

Classificação – Pilotos

1°. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), 50 pontos
2°. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), 26
3°. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), 22
4°. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), 22
5°. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 20
6°. Felipe Massa (BRA/Ferrari), 16
7°. Nick Heidfeld (ALE/Renault), 15
8°. Vitaly Petrov (RUS/Renault), 15
9°. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), 6
10°. Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari), 4
11°. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes), 2
12°. Michael Schumacher (ALE/Mercedes), 2
13°. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes), 2 pontos

Classificação – Equipes

1°. Red Bull-Renault, 72 pontos
2°. McLaren-Mercedes, 48
3°. Ferrari, 36
4°. Renault, 30
5°. Sauber-Ferrari, 6
6°. Toro Rosso-Ferrari, 4
7°. Force India-Mercedes, 4
8°. Mercedes, 2
9°. Lotus-Renault, 0
10°. Virgin-Cosworth, 0
11°. Williams-Cosworth, 0
12°. Hispania-Cosworth, 0

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em automobilismo, Formula 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s